Ilha dos Franceses, rara beleza em Itapemirim

today14 de janeiro de 2020
remove_red_eye965

Um dos mais belos pontos turísticos do sul capixaba, a Ilha dos Franceses, é excelente opção para o turista que está visitando o balneário de Itapemirim. Situado a quatro quilômetros da praia de Itaoca, o local é ideal para pesca e mergulhos. Durante a temporada de verão tem escunas que realizam a travessia com preços que variam entre R$ 20,00 e R$ 30,00 por pessoa e conduzem de 30 a 50 passageiros por viagem.

Na orla de Itaoca há cinco embarcações, entre barcos de passeio e escunas, cadastradas na Capitania dos Portos. Os locais para o embarque são nas pedras e próximo à praça. O desembarque é feito em frente à Pedra do Pescador, onde o barco fica atracado e os visitantes podem tomar banho e mergulhar, mas o ingresso à mata nativa é proibido, sendo portanto, a área monitorada pela Marinha do Brasil.

Algumas embarcações oferecem serviço de bordo, possuem banheiro e tem, à disposição da tripulação, coletes salva-vidas obrigatórios, boia espaguete, além de todos os equipamentos obrigatórios exigidos pela Capitania dos Portos. Os passeios são de segunda a segunda, das 8h às 15h e duram aproximadamente 20 minutos de navegação.

Na costa itapemirinense há passeios de jet banana, também autorizados pela Capitania dos Portos, que duram cerca de 15 minutos, com duas paradas para mergulho. Há várias bananas boat nas praias de Itaoca e Itaipava, cujos valores estão na média de R$ 15,00. Há botes infláveis que permitem de 20 a 26 aventureiros por passeio.

A Ilha dos Franceses possui alta viscosidade e se destaca por sua beleza ímpar. Além de suas águas cristalinas, diversas espécies de aves raras habitam o local. Um farol de 12 metros de altura, alimentado por energia solar, construído em 1730, funciona até hoje, ajudando a sinalizar a existência da faixa de terra às embarcações que passam pela área.

Algumas lendas cercam a Ilha dos Franceses, devido a uma caverna existente no local. Um “mistério” envolve a Gruta do Judeu, uma fenda no meio das pedras, onde diz o mito que tem conexão com o Continente, saindo no Monte Aghá. Neste recôncavo, o cientista Augusto Ruschi descobriu o morcego pescador (Nostílio Leporinus Leporinus L.), uma espécie em extinção.

Parque natural, tombado como patrimônio paisagístico, a origem do nome “Ilha dos Franceses” se deu por causa de uma invasão dos franceses, em 1555, ao litoral de Itapemirim, quando a mesma serviu de base de apoio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*