Vereadores discutem turismo religioso com reitor do Santuário Nacional de São José de Anchieta

today18 de maio de 2015
remove_red_eye185

Os vereadores da Câmara Municipal de Anchieta receberam o primeiro reitor do Santuário Nacional de São José de Anchieta, Padre César Augusto, para uma reunião onde foi apresentado os últimos resultados da 53ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Nessa mesma assembleia foi aprovada por unanimidade a concessão do Título de “Santuário Nacional”, nos termos do cânon 1231 do Código de Direito Canônico, e por decreto também outorgou a São José de Anchieta o título de padroeiro secundário do Brasil, junto de Nossa Senhora de Aparecida, com todos os direitos e privilégios litúrgicos.

Em outro momento, e diante de tais notícias, padre César Augusto dos Santos relatou aos vereadores as demandas para tornar o espaço mais apropriado para receber os fiéis de todo o País e até do exterior. Segundo o padre, existe uma expectativa de aumento do fluxo de visitantes após o beato Anchieta ter sido santificado e se tornado padroeiro do Brasil, ao lado de Nossa Senhora Aparecida.

“Quando assumi vi as precariedades das instalações. Faltam instalações sanitárias, espaço para refeições, para atendimento médico de primeiros socorros. Apesar da parceria da prefeitura, faltam guias capacitados e infraestrutura para receber os visitantes. Desenvolver o turismo em Anchieta vai gerar não só ganho espiritual, mas também econômico. Quem é bem atendido retorna e quer compartilhar sua experiência”, ressaltou.

Padre César destacou que o desenvolvimento do turismo religioso poderia trazer benefícios financeiros para todo o município de Anchieta.

“A visita a Anchieta poderá se tornar a visita do ano ou da vida dos fiéis. Precisa ter no entorno parques, lojas com lembranças, toda a região pode lucrar. O Brasil precisa descobrir o papel do turismo religioso e o Santuário de Anchieta quer contribuir. Ele tem um templo, a Igreja de Nossa Senhora da Assunção; o museu nacional; e o centro de espiritualidade, que é uma espécie de retiro. Temos ainda “Os Passos de Anchieta”, evento que cada vez mais cresce. Neste ano teremos uma caminhada luminosa na praia de Ubu”, adiantou.

Ele lembrou que, desde a antiguidade, os povos possuíam locais sagrados que eram alvos de peregrinação e que o santuário tem tudo para se tornar um desses locais. “O turismo religioso está presente nas religiões monoteístas. Existem peregrinações como as de Fátima (Portugal) e de Santiago de Compostela (Espanha). No Brasil, as peregrinações são chamadas de romarias, temos a de Nossa Senhora Aparecida, de Nazaré, do Convento da Penha e outros”, afirmou.

O Presidente da Câmara Municipal de Anchieta, Jocelém Gonçalves de Jesus, levantou a hipótese da criação da Secretaria Municipal de Cultura e Patrimônio Histórico, através do Executivo Municipal.

“Hoje contamos com uma Gerência de Cultura e Patrimônio Histórico e com uma Secretaria Municipal podemos fomentar e potencializar recursos dos Governos do Estado e Federal, através de emendas e verbas específicas”, defendeu o Presidente.

Outras reuniões serão agendadas onde os principais temas serão a importância da reestruturação da infraestrutura do complexo religioso e histórico, como de toda cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*