Análise eleitoral 2014: Itapemirim revê sua trajetória

today6 de outubro de 2014
remove_red_eye242

Alguns políticos (os mais burros), quando confrontados com uma pesquisa de opinião que demonstre um resultado negativo, algo que ninguém gosta de ouvir realmente, logo tendem a desmerecer ou a levantar dúvidas sobre a credibilidade do material.

Tentam encontrar diversas desculpas como: o método está errado, o entrevistador induziu, faltou aquele lugar assim, foi por aquilo outro e etc. Eles não querem enxergar!

Daí ocorre um fenômeno muito interessante: A VONTADE POPULAR EXPRESSA PELO VOTO DIRETO! ESSA, NENHUM POLÍTICO, NEM OS BURROS E INCOMPETENTES, CONSEGUEM DESVIRTUAR!

Quero trazer um exemplo do nosso dia-a-dia, nesse caso, as eleições em Itapemirim nesse ano de 2014. O povo voltou às urnas! Tivemos uma campanha marcada pela fortíssima pressão da máquina administrativa e uma clara demonstração do alto poder econômico daqueles que comandam nossa cidade.

De um lado, a ex-prefeita Norma Ayub (DEM), candidata à Deputada Federal, ladeada por Paulo Hatung (PMDB) e Ferraço (DEM). Do outro lado Casagrande, Macaciel (Dep. Estadual) e Paulo Foleto (sábia decisão de ficar na penumbra), todos do PSB, apoiados pela Prefeitura sob o comando de Luciano Paiva do mesmo partido.

Os cabos eleitorais dos candidatos do PSB, (Luciano Paiva e sua família) estavam ancorados na certeza da força administrativa da máquina, como seu candidato. Ocorre que há no município de Itapemirim uma insatisfação (pra não falar em revolta) do modelo de gestão adotada, naquilo que mais parece uma empresa familiar.

Recaem sobre o Prefeito e sua administração denúncias de corrupção das mais variadas formas, perseguições contra servidores, ineficiência e ineficácia na aplicação dos recursos, dentre outras notícias muito negativas. Ainda para piorar a situação, seu principal colaborador, Evandro Paiva, recebe, no dia do escrutínio, uma visita nada desejável da Polícia Federal que apreendeu em sua residência quase R$200.000,00 em dinheiro vivo, que segundo a própria PF seriam utilizados para compra de votos em favor do candidato do PSB.

No município, Norma Ayub recebeu uma clara demonstração do quanto a população lhe é grata. Fora do poder desde 2013, não precisou de muito para obter quase 60% dos votos válidos do eleitor local. Contou com o auxílio de um único vereador, o Patinho, e com a dedicação de pessoas próximas que levaram suas propostas ao interior, enquanto percorria o Estado.

Leonardo Fraga, o Patinho, manteve seu nome aceso na Política, quando em seus discursos, na Câmara Municipal, relembrava o quanto Norma Ayub fez pela cidade, comparando o trabalho da ex-prefeita, com o trabalho questionável do atual, tarefa nada difícil dadas às circunstâncias. Ferraço também foi lembrado pelo eleitor, com mais de 5.900 votos em Itapemirim, mais que o dobro obtido pelo candidato do prefeito (lembrando do tamanho da estrutura da máquina da prefeitura).

Falando através dos números (a língua do político) Luciano Paiva conseguiu transferir ao seu candidato à Deputado Estadual magrelos e controversos 2.352 votos. É muito bom analisar pela seguinte ótica: em sua terra natal o CANDIDATO DO PREFEITO TEVE ÍNFIMOS 111 votos (é cento e onze mesmo). A FORÇA DO PODER ECONÔMICO FEZ TODA A DIFERENÇA, MAS A GRANDE MAIORIA NÃO ACEITOU A IMPOSIÇÃO!

Seu adversário direto, o Presidente da Assembleia Theodorico Ferraço, quase que triplicou a votação do concorrente, foram quase 6.000 votos.

Comparando o número dos federais, Paulo Foleto ainda conseguiu tirar seus 688 votos (talvez se tivesse recebido ajuda do governo local teria sido bem pior). Norma Ayub superou todas as expectativas, angariou 10.635 votos, mostrando que está mais viva e mais forte do que nunca.

A rejeição do governo Paiva continua a ser exposta nos números a Governador. Contando com quase que a totalidade da Câmara de Vereadores, servidores e lideranças, Casagrande ficou muito a quem daquilo que se esperava.

Paulo Hartung, candidato da ex-prefeita Norma, obteve mais que o dobro de votos do atual Governador, candidato do Prefeito Luciano Paiva. Foram 12.289 de Paulo Hartung, contra 5.500 de Casagrande.

Temos que lembrar também do grupo do PSDB em Itapemirim, liderado pela Vice-Prefeita Viviane Peçanha, rompida politicamente com o atual prefeito, sofreu com a retaliação e perseguição política e, ainda assim, pode-se dizer que se sagrou vitoriosa no pleito.

Mantém excelente canal aberto com o Governador Paulo Hartug, por meio do seu vice, Cesar Colnago (PSDB), o que se estreita mais fortemente com a eleição do Pastor Marcus Mansur que obteve 1.685 no litoral, ou seja, muitíssimo bem representada.

Assim, é incontestável o sentimento de rejeição que o povo de Itapemirim tem com relação à atual gestão estadual, pior ainda a Municipal. Assim foi em todo Estado, resguardas as devidas proporções, porque gestão como a de Luciano Paiva em Itapemirim, dificilmente será encontrada em outro município do ES.

O Prefeito de Itapemirim fica, nesse momento, órfão e isolado politicamente, submetendo-se ao sistema sem a vital blindagem política que vinha lhe protegendo e blindando. Parabéns pela coragem eleitores! Vocês precisam sentir-se orgulhosos das decisões que tomaram. Vamos em frente! Essa é a democracia que merecemos e precisamos.

Por Gedson Alves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*