Pimentas de Santa Leopoldina são tema de selos dos correios

today20 de outubro de 2015
remove_red_eye573

A Secretaria de Estado da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (Seag) e o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), em parceria com os Correios, lançaram dia 16 de outubro na Câmara Municipal de Santa Leopoldina, o Selo Postal de Variedades de Pimentas Brasileiras.

A cerimônia de lançamento contou com a presença do diretor presidente do Incaper, Wanderley Stuhr, do gerente de Produção Vegetal e Agroecologia da Seag, Aureliano Nogueira, do diretor regional dos Correios, Rafael Carpanedo Fiório, do prefeito de Santa Leopoldina, Romero Endringer, produtores de pimenta e demais autoridades.

Os quatros selos destacam as espécies de pimentas brasileiras, domesticadas e consideradas as mais significativas do Brasil. Os produtos que ilustram os timbres são produzidos em Santa Leopoldina e foram selecionados a partir das técnicas desenvolvidas e adaptadas no Espírito Santo, por meio da assistência técnica e extensão rural do Incaper.

Clébio Luiz do Nascimento, que produz cerca de seis mil toneladas de pimenta por ano, em uma área de 1 hectare, considera o lançamento dos selos um reconhecimento para o município. “Nós, produtores de Santa Leopoldina, não esperávamos esse reconhecimento. Estamos levando o nome do município para vários lugares desse Brasil por meio dos nossos produtos”, completa.

Na produção dos selos foram utilizadas as técnicas de manipulação de fotografia e computação gráfica pela artista Maria Maximina. A tiragem é de 1,2 milhão de selos, ao valor de R$ 1,95 cada, que podem ser adquiridos nas agências dos Correios, na loja virtual (www.correios.com.br/correiosonline) e na Central de Vendas a Distância ([email protected]).

A pimenta no Espírito Santo
Santa Leopoldina é o município de maior relevância no Espírito Santo na produção de pimentas vermelhas do gênero Capsicum spp. De acordo com dados do Incaper, são 5 hectares de pimenta e uma produção de 25 toneladas ao ano.

Cerca de 30 famílias vivem do cultivo de pimenta, sendo a maioria delas também produtoras de café. O cultivo da pimenta oportuniza ao produtor ter renda no período de entressafra do café, desempenhando assim, importante papel social na permanência das famílias no campo.

Os selos desta emissão focalizam as pimentas malagueta, dedo-de-moça, bode e biquinho. A quadra é a reprodução de fotos dos cultivares naturais de cada uma das espécies, que expressam, com seus elementos e componentes, a força e a beleza do conjunto iconográfico: fruto, rama e florada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*