Colatina vai ganhar duas indústrias chinesas

today25 de abril de 2019
remove_red_eye1334

O prefeito Sérgio Meneguelli não para! Depois de atrair para Colatina três empresas (ZengleinGran Romano e Transcamilo – que estão em processo de implantação), o gestor municipal recebeu em seu gabinete, no último dia 15, um grupo de investidores chineses que conheceram o município e apresentaram propostas para duas novas indústrias: Chinalco (ligada ao setor de rochas ornamentais) e Xingye (estatal chinesa do ramo têxtil).

O objetivo inicial é trazer novos equipamentos para extração de rochas ornamentais e fechar uma parceria com a companhia de mineração Marbrasa Norte Mineradora, que está localizada na BR 259, a 30 quilômetros do centro da cidade. “Colatina tem um potencial mineral vasto, que movimenta toda região Norte e Noroeste, e isso está atraindo o olhar não só de outros estados, mas também de outros países. Essa parceria, à princípio, deve gerar cerca de 300 empregos diretos”, afirmou Daniel Dadalto Schultz, secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, que esteve presente na reunião.

Meneguelli adiantou que a vinda dessas duas empresas ainda depende de alguns acordos e processos burocráticos, mas ele já comemora a parceria, que só vai beneficiar a economia do município e pode criar cerca de três mil postos de trabalhos diretos e indiretos. “O índice de homicídios em Colatina é um dos menores do Brasil, a qualidade de vida é uma das melhores e a própria revista Exame disse que Colatina é uma das cem melhores cidades brasileiras para se investir. Só tenho que comemorar e agradecer pelos resultados, que colocam a cidade no trilho do desenvolvimento”.

INDÚSTRIA TÊXTIL
A fábrica de tecidos Xingye também vai tentar uma parceria junto às indústrias locais de vestuário, que serão beneficiadas com os tecidos produzidos na cidade e ainda serão exportados para outros países. “Em um primeiro momento, a Xingye vai realizar seus trabalhos em um local onde há poucos meses funcionava outra indústria de vestuário, aqui mesmo da região”, explicou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Kátia Caliari de Souza.

Ela disse ainda que a fábrica de tecidos tem previsão de iniciar os trabalhos em até oito meses e, de imediato, deve contratar cerca de 700 colaboradores diretos. “Posteriormente, as atividades serão ampliadas e esse número pode dobrar, chegando a cerca de 1.400 empregados no primeiro semestre de 2021. Todos irão atuar já na nova sede, que provavelmente será instalada no bairro Luiz Iglesias ou no bairro São Marcos. Esse é um dos poucos detalhes que ainda não foi definido”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*