Mais de 3 mil toneladas de lixo descartado irregularmente são retiradas por mês em Vitória

today11 de junho de 2021
remove_red_eye118

“Lugar de lixo é no lixo”. A afirmação do autônomo Sebastião da Silva, de 41 anos, morador da Praia do Suá, parece óbvia. No entanto, a Central de Serviços recolhe, mensalmente, cerca de 3.300 toneladas de entulhos deixados irregularmente em pontos viciados de lixos em Vitória.

Todo dia, Sebastião vai à usina de lixo (localizada em Resistência) descartar materiais de construções particulares. “Eu ganho a vida fazendo frete, retirando e descartando esses restos de construções. Mas, também, porque sei que o lugar de lixo é no lixo. Todo lixo deve ser descartado de forma correta para evitar contaminação, espalhar sujeira pela cidade ou poluir o meio ambiente”, disse ele.

Sebastião da Silva, morador da Praia do Suá.

Desobstrução
Um exemplo disso foi o que a equipe da Central de Serviços constatou durante o serviço de desobstrução preventiva na rede de drenagem e caixas-ralo na rua Manoel Rosindo, em São Pedro.

O gerente da Central de Serviços da Região 7, Geferson Júnior, disse que foi muito impactante verificar que a rede (ramal) se encontrava totalmente obstruída por concreto.

“Verificamos que esse material é de obras, restos de massa de construções preparadas em calçadas ou na rua que escorrem para as caixas-ralo e redes de drenagem. Isso bloqueia a passagem das águas das chuvas e, consequentemente, provoca os alagamentos. Uma ação errada gera transtornos para uma rua inteira, às vezes, para um bairro inteiro”, lamentou Geferson.

Prevenção
Desde o início de junho, a Central de Serviços colocou em prática a ação “Drenagem preventiva – Combate aos pontos de alagamento”. O objetivo é intensificar o serviço de limpeza e desobstrução da rede de drenagem em todas as nove regiões administrativas de Vitória e, consequentemente, melhorar a vazão das águas pluviais e reduzir a possibilidade de alagamentos em períodos de chuva.

O secretário da Central de Serviços, Leonardo Amorim, disse que a ação é inédita na cidade. “Mapeamos 110 pontos tradicionais de alagamento no município e identificamos a relação do acúmulo de sujeira nas regiões altas com os alagamentos nos bairros situados abaixo”.

Leonardo explicou que muitos dos transtornos registrados nos períodos de chuva são resultado do acúmulo de resíduos descartados irregularmente nos bairros, que acabam chegando nas redes pluviais. “Daí a necessidade da ação ‘Drenagem Preventiva’ casada nos bairros situados nas regiões alta e baixa da cidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*