As belezas naturais e a estrutura turística das montanhas capixabas que encantam o mundo

today22 de Maio de 2020
remove_red_eye105

Reconhecida por ter um dos melhores climas do mundo, com vasta cobertura florestal, com belezas naturais de tirar o fôlego, paisagens para eternizar em belas fotos e com uma infraestrutura turística capaz de agradar a todos os públicos, a região de montanhas do Espírito Santo será o destino certo para quem já planeja a primeira viagem após a pandemia do coronavírus. 

Nos últimos anos, o número de turistas que visitaram a região, vindo de dezenas de países de todos os continentes, vinha crescendo. Um exemplo é o município de Afonso Cláudio, que nos últimos anos registrou pessoas de mais de 30 países que vieram com um objetivo: a observação de aves. A estimativa é que o ecossistema do município abrigue cerca de 360 espécies de pássaros.

“No primeiro final de semana de janeiro, recebemos turistas da Argentina, Índia, Paquistão, Ucrânia, China, Suíça, EUA e Inglaterra. Hoje, Afonso Cláudio está na rota internacional”, afirma Itamar Tesch, dono do Cantinho dos Três Pontões, na localidade de Alto Graminha, distante 12 quilômetros da Sede do município.

A propriedade dele fica próximo da Pedra dos Três Pontões, cartão postal do município. A região é o destino dos turistas que buscam aventuras, escaladas e, também, os visitantes que querem a tranquilidade das montanhas, fugindo do agito dos grandes centros urbanos.

Outro local bastante procurado, mas que atualmente não está podendo receber visita, é o Parque Estadual do Forno Grande, que fica em Castelo. É onde fica o segundo maior ponto culminante do Espírito Santo, o Pico do Forno Grande, com 2.039 metros de altitude. Local de especial riqueza biológica onde sobre o musgo das pedras proliferam espécies raras de orquídeas e bromélias. Ali também vivem espécies de animais em extinção, como a onça-parda, a jaguatirica e o macaco mono-carvoeiro. No topo do pico – área de preservação – concentra-se uma mata que, segundo o pesquisador Augusto Ruschi, trata-se da maior floresta de altitude do mundo.

Em Venda Nova do Imigrante, o Morro do Filleti, com 1.110 metros de altura, possui rampa para decolagem de asa delta e parapente. Aliás, esportes de aventura são atividades corriqueiras na região. No local são realizados diversos campeonatos de vôo livre, mas durante a pandemia, a prática de esportes não está ocorrendo.

Os visitantes da região têm a Casa do Turista, que fica em Pedra Azul, em Domingos Martins, como ponto de apoio ao visitante na região. É também onde fica a sede da Associação Turística de Pedra Azul (ATPA) e do Montanhas Capixabas Convention & Visitors Bureau. O presidente do Convention, Valdeir Nunes, destaca a natureza como um dos principais atrativos para quem planeja as viagens após a pandemia do coronavírus.

“Os hotéis, pousadas e muitos restaurantes ficam em regiões cercadas por muitas florestas, com paisagens incríveis, como a bela Pedra Azul. Esses fatores colocam a nossa região como um destino ideal para viagens. Estamos com nossas estruturas turísticas funcionando e com os cuidados redobrados para que o nosso visitante tenha tranquilidade em estar conosco”, reforçou Valdeir Nunes.

Mais informações sobre estabelecimentos e atrativos turísticos da região também podem ser obtidos por meio das redes sociais e sites abaixo:

Instagram: @montanhascapixabasoficial e @pedraazulesoficial

Facebook: @Casa-do-turista-Pedra-Azul

Site: www.clicknasmonanhas.com.br e www.montanhascapixabas.org.br

Morro do Filleti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*