IMÓVEIS | Inquilino pode reformar imóvel mal conservado e obter desconto no aluguel

today2 de abril de 2024
remove_red_eye243

Veja como funciona e quais são os passos para a negociação

Hoje tem se tornado cada vez mais comum a realização de reformas completas em imóveis alugados por parte dos inquilinos. Além de realizar pequenos reparos e consertos para facilitar a rotina no imóvel, os novos clientes tem feito obras de melhorias, que muitas vezes também beneficiam não só a si, como também as necessidades do proprietário em manter o imóvel bem conservado.

Isso porque, como você já deve imaginar, é muito difícil encontrar um apartamento para alugar em Campinas por exemplo, e ele estar exatamente da maneira em que o inquilino precisa ou sonha em morar.

Em função disso, é possível diminuir o valor do aluguel em um acordo com o propriétario, com a realização das reformas. O acordo com o dono do imóvel pode eliminiar a carência e ainda garantir um desconto no aluguel no fim de todo mês.

Da escolha do acabamento até a pintura das paredes, os inquilinos são motivados em sua maioria pela personalização do imóvel. O processo de reformar um imóvel alugado muitas vezes é mais interessante para morar e trabalhar, saindo mais barato do que investir em um espaço próprio.

Normalmente, quando existe o interesse em realizar as obras o inquilino sinaliza a intenção para o proprietário, que geralmente se apresenta disposto a realizar algum tipo de acordo.

O desfecho, observado em imobiliárias e também por corretores de imóveis, resulta no desconto da reforma nas mensalidades do aluguel. Mas também existem os casos em que o inquilino fica isento de pagar o aluguel durante um determinado período de tempo.

Os benefícios podem ser identificados para ambas as partes: para o inquilino, que consegue ocupar o imóvel de forma rápida, fazer sua personalização e ainda conseguir um desconto no aluguel.

Já para o proprietário do apartamento, pois acaba com a necessidade de investir capital próprio em um imóvel que vai para o aluguel, melhora do relacionamento com o inquilino, principalmente superando possíveis incomodos que poderiam surgir em virtudes de problemas no imóvel e por fim, retenção do inquilino, uma vez que ao reformar o espaço, os novos moradores acabam prologando sua estadia no imóvel.

Foto Freepik.

Agora que você já conhece mais sobre reformas no período de aluguel, veja como conseguir desconto no valor da mensalidade:

Antes de tudo, a autorização
De acordo com a lei do inquilino, que define os direitos e deveres na relação de um contrato de aluguel, mostra que para realizar qualquer alteração no imóvel é preciso de autorização do proprietário. No caso de mudanças mais pontuais, a realização das mesmas deve ser declaradas por escrito.

Caso o inquilino não cumpra com a regra, ele está sujeito a receber multas e punições previstas em contrato. No caso de instalação de móveis, que são necessários para a utilização do imóvel, a modificação pode ser realizada desde que venha a garantir a conservação do apartamento. Já em relação a pintura, é necessária a autorização do proprietário.

Papeis de parede podem vir a sua utilizados, principalmente pelo crescimento no mercado, mas deve ter o cuidado para garantir sua retirada completa na devolução do imóvel.

É importante destacar que realizar reformas sem autorização é uma prática considerada infração contratual. Por isso, sempre que for realizar mudanças é necessário avisar a imobiliária e com isso obter a autorização do proprietário para realizar a mudança, dentro do que define a lei.

Benfeitorias
Ao tratar sobre reformas durante o aluguel é importante mencionar um tópico bastante importante: o das benfeitorias. Toda obra que gere um acréscimo ao imóvel ou garanta uma melhoria no espaço é considerada uma benfeitoria.

Entender as benfeitorias é importante para saber quando a responsabilidade é do inquilino, quando é do proprietário e como cada obra pode ser enfim classificada.  A benfeitoria voluntária é aquela que torna o ambiente mais agradável ou que geralmente tem um valor mais elevado, como a instalação de uma piscina. Também tem as benfeitorias úteis, que são aquelas que facilitam o uso do bem, como a construção de uma garagem.

E por fim existe a benfeitoria necessária, que tem como principal objetivo a conservação do bem, a fim de evitar sua deterioração. No caso, o desconto do aluguel pode vir a acontecer em cima das benfeitorias úteis, que não necessariamente emergências, mas ao serem realizadas contribuem para a qualidade de vida no imóvel.

Pela lei do inquilinato, ela deve ser autorizada e permanecer no imóvel após o fim do contrato, devendo também ser ressarcida, como pode acontecer com o desconto ou abatimento do aluguel.

Seja objetivo
Em virtude das regras existentes sobre a lei do inquilinato, o ideal na hora de buscar uma casa para alugar, é já manifestar o interesse de realizar a reforma antes de assinar o contrato.

Dessa forma você já deixa o propritário ciente dos seus interesses, consegue negociar um desconto já na entrada ou no próprio pagamento dos alugueis, assim como iniciar as reformas de imediato.

Normalmente ao realizar a busca pelo apartamento, o inquilino acaba por dar prioridade a imóveis que possam vir a estar mais deteriorados, mas que apresentam algum tipo de vantagem seja pela localização, pelo tamanho do imóvel ou até mesmo já pelo valor do aluguel que ainda pode vir a ser negociado com a realização das benfeitorias.

Ao declarar que tem interesse em estar reformando o ambiente, o potencial inquilino já agiliza a questão de tempo de negociação, a parte burocratica de autorização e evita problemas ou qualquer outra dor de cabeça recorrente das clausulas previstas no contrato.

Dessa forma, as chances de conquistar o desconto são ainda maiores, uma vez que o proprietário já se apresenta mais disposto a realizar uma negociação e ainda aceitar a proposta, que normalmente acontece por parte do inquilino.

Também é válido que ao realizar as visitas no imóvel, é importante já avaliar pontos que possam vir a ser melhorados e até a existência de algum defeito, que é de responsabilidade do proprietário e pode vir a ser negociável também.

Curtiu? Compartilhe em suas redes sociais!

foto Pixabay

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*