Método Canguru: atendimento humanizado que ultrapassa relação entre pais e filho

today14 de novembro de 2014
remove_red_eye276

Desde 2011, cerca de 250 recém-nascidos prematuros do Hospital Estadual Infantil e Maternidade de Vila Velha (Himaba) foram contemplados pelo Método Canguru, que ajuda no desenvolvimento do bebê de baixo peso.

Durante todo esse processo de cuidado, a equipe acaba se envolvendo com os familiares, criando laços que são mantidos por meio de ações de confraternização, como a que será realizada nesta segunda-feira (17), das 15 às 16 horas.

A ideia de reunir as famílias de crianças que já passaram pelo método, além de pais e mães de recém-nascidos internados na maternidade é promover uma confraternização, mas não deixa de ser um meio de manter contato e avaliar o desenvolvimento desses pequeninos. “É mais que uma comemoração, é também um jeito de termos o retorno desse trabalho que fazemos”, destaca a assistente social da maternidade Karla Fardin Pavan.

A troca de experiência é outro ponto importante. “Durante o evento, esses familiares que já passaram pelo método e agora encontram-se em suas residências trazem relatos de vivência para aqueles que atualmente passam por esse  momento”, ressalta Karla, que também é tutora do Método Canguru. Para as crianças, a equipe prepara uma festa, com pipoca, cachorro-quente, picolé e bolo, além de atividades como pula-pula e piscina de bolinhas.

Método Canguru
O Método Canguru é um meio de atenção humanizada para o recém-nascido prematuro com menos de 37 semanas e com menos de 2,5 Kg. O objetivo é deixar a criança em contato direto (pele a pele) geralmente com a mãe, na posição canguru, para estimular o aleitamento materno e o vínculo afetivo, além de evitar infecções, diminuindo o tempo de internação.

O trabalho é feito com o suporte de equipes treinadas e conscientes de sua importância. Além de diminuir o tempo de internação, o método reduz os riscos de infecção, estimula o aleitamento e aumenta o vínculo entre a mãe e a criança. Os pais também são estimulados a ficarem na posição canguru com o recém-nascido.

O Método Canguru é adotado desde 2008 pelo hospital, mas, anteriormente, as mamães só podiam ficar com seus bebês durante o dia na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin). Com a criação de uma enfermaria própria para esse atendimento em janeiro de 2011, com três leitos, o vínculo passou a ser integral.

Etapas
O método é composto por três etapas, todas elas contam com apoio de equipe multidisciplinar formada por médico, enfermeiro, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, psicólogo, terapeuta ocupacional e assistente social.

A primeira fase é realizada dentro da Utin, quando é promovido contato pele a pele precoce entre mãe e recém-nascido. Além de acompanhamento dos pais, é aberta visita conjunta em horários específicos para irmãos e avós.

A segunda etapa funciona na unidade de cuidados intermediários. Nesse espaço mães permanecem em posição canguru, participam e aprendem cuidados especiais que os recém-nascidos devem receber, tais como dar banho e trocar as fraldas. É intensificado o estímulo ao aleitamento materno.

Por fim, na terceira e última parte, o bebê ganha alta hospitalar, mas continua sendo acompanhado pela equipe por meio de consultas agendadas até que atinja 2,5 kg.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*