SAÚDE | Acne e alimentação: mitos e verdades

today29 de março de 2022
remove_red_eye133

A acne é afecção (alteração patológica) crônica, universal, multifatorial, inflamatória ou não inflamatória, que surge na puberdade, podendo aparecer no indivíduo adulto, principalmente no homem, devido a alterações hormonais. A acne é uma doença que gera não só incômodo local, mas também crise de fator psicológico, pois sua manifestação clínica é externa (na pele) e pode gerar problemas de autoestima.

Quando se fala que a acne pode surgir a partir de vários fatores, um deles pode ser por maus hábitos alimentares que se dão por deficiência e/ou excesso de alguns alimentos e/ou nutrientes no organismo humano.

É absolutamente comprovado que hábitos alimentares saudáveis previnem problemas de saúde, inclusive retardando até mesmo os de níveis “genéticos”. Estudos mostram a interferência de algumas “substâncias” e até mesmo alimentos que devem ser menos consumidos para prevenção de acne. 

Um estudo com 1.066 adolescentes na China analisou se os níveis de iodo encontrados na água ou no sal poderiam afetar a prevalência ou a gravidade da acne. Concluiu-se que em pacientes com hábitos de maior consumo de sal a prevalência de acne grave (cística e que evoluía para cicatrizes) foi maior. 

Pesquisadores analisaram as taxas de vitamina A e Zinco na dieta de um grupo com acne e pode-se observar que esses indivíduos tinham deficiência desses micronutrientes. Para melhorar essas taxas, as fontes alimentares são: laranja, cenoura, mexerica, manga, vegetais verdes, castanhas e cereais integrais. 

Já uma revisão feita com vários estudos sobre a acne e a alimentação concluiu as possíveis causas do desenvolvimento da acne: não estão relacionadas com a quantidade de comida, mas sim com a qualidade dessa, ou seja, uma alimentação rica em carboidratos simples (farinha branca) e açúcares aumentam os picos de insulina, consequentemente a produção de gordura da pele e a acne. Observaram que pessoas que consomem leite e chocolate em excesso podem ter uma maior chance de ter a dermatose. 

Com base nos recentes relatos científicos, uma afirmação vem se tornando cada vez mais aceita: há menor incidência de acne em sociedades não ocidentalizadas, na qual sua alimentação é mais natural, à base de frutas, vegetais, óleos saudáveis e carne branca. Em seus padrões alimentares, não se encontram alimentos processados, laticínios, açúcares e óleos refinados.

Pra nós, ocidentais, fica o exemplo de uma boa referência para evitar tanto a acne como outros problemas relacionados à alimentação. 

por Pollyane Reis (CRN 13970)
instrutora do curso de estética da Faculdade Senac Goiás (go.senac.br), nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e estética

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*