Biscoitos da Tia Virgínia fazem sucesso no Estado

today23 de abril de 2015
remove_red_eye1058

Quando o assunto é trabalho e determinação, dona Virgínia da Penha Almonfrey Orlandi, a tia Virgínia, 69, tira de letra. A alfredense começou sozinha fabricando biscoitos caseiros há 40 anos na localidade de São Sebastião, no interior de Alfredo Chaves, e hoje conta com uma indústria que leva seu nome e comercializa para todo o Estado.

Logo que casou, dona Virgínia não queria depender do marido financeiramente, e ai resolveu fabricar biscoitos e vender na região. Os produtos ficaram famosos pela qualidade e pelo sabor.

A simpática filha de agricultores viu a oportunidade de ampliar a produção quando a lavoura de bananas que sustentava a família começou a ruir. Desde então, com visão empreendedora, ela começou a comercializar seus produtos na grande Vitória. “Minha irmã me ajudou a vender os biscoitos, aproveitávamos as sacolas de açúcar e arroz para embalar os produtos que eram levados de trem de Matilde até Cariacica”, relembra.

“Os pedidos foram aumentando e muitos começaram a visitar a nossa singela fábrica. Oferecia café e alguns dos nossos produtos, depois as pessoas iam embora com sacolas dos biscoitos. Vendíamos bastante”, conta sorrindo.

Os anos se passaram e a fábrica foi crescendo, os produtos começaram a ser aceitos em grandes redes de supermercados da capital capixaba e em outras cidades do Estado. Hoje a fábrica conta com 13 funcionários e os três filhos largaram os empregos para se dedicarem no empreendimento familiar. “Vendemos para diversos locais, até para o Rio de Janeiro e São Paulo”, conta.

Além de biscoitos de diversos sabores e formatos, a família produz pães e bolos. No sítio onde é a sede da fábrica, também são comercializados queijos, doces e compotas, todos fabricados pelas mãos habilidosas de dona Virgínia. O negócio deu tão certo que a família construiu uma pousada e serve almoço para grupos de pessoas, mediante agendamento.

O sucesso, tia Virgínia atribui ao amor que se dedica no preparo dos produtos e no carinho do envolvimento familiar. “Comecei há quarenta anos, somente eu e Deus, hoje tenho funcionários e meus filhos. Formamos uma grande família que produz com amor”, disse.

Como chegar. O sítio fica aberto todos os dias e o acesso é pela ES 146, estrada de Matilde. Antes de São Marcos, entrar no acesso a Ibitirui, sentido de quem vem da sede de Alfredo Chaves. Mais da metade do percurso é asfaltado.

Essa matéria faz parte do Projeto Gente de Alfredo Chaves, criado pela Secretaria de Comunicação Social para destacar alfredenses que, de alguma forma, fazem ou fizeram destaque no município.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*