Detentos capixabas participam de Torneio Internacional de Xadrez On-line

today2 de agosto de 2019
remove_red_eye3139

Internos do sistema prisional capixaba serão os únicos do Brasil a disputar o Torneio Internacional de Xadrez On-line com detentos de países como Armênia, Bielorrússia, Inglaterra, Itália, Espanha Rússia e Estados Unidos. Ao todo, 32 participantes, sendo quatro do Espírito Santo, participarão dos jogos. As partidas serão realizadas na Escola Penitenciária do Espírito Santo (Epen), em Viana, com início às 10h.

A Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) dá apoio aos competidores. O vice-presidente da CBX, Charles Moura Netto, explica que o torneio será realizado em cinco partidas, sendo três delas no dia 05 e duas no dia 06. A disputa será auditada pelos árbitros da Confederação, Lindomar Tonini e Claudio Ferreira, e poderá ser acompanhada por meio do site   https://www.chess.com/

De acordo com Charles, a CBX mantém uma parceria de 11 anos com o Governo do Estado para fomentar o jogo de xadrez dentro das unidades prisionais. “O Espírito Santo é o mais consolidado do País no desenvolvimento da prática de xadrez como instrumento de ressocialização das pessoas privadas de liberdade. Por isso, é o único a participar de um torneio internacional. O potencial de transformação desse esporte é incrível, pois é possível utilizar as técnicas do jogo de tabuleiro como metáfora para a vida dessas pessoas. Mostra que o resultado do jogo depende de uma decisão bem pensada, que é preciso seguir as regras estabelecidas e que um erro pode trazer a derrota. É uma forma de torná-lo protagonista de sua própria vida”, explica.

O presidente da CBX, Darcy Lima, também participará da abertura e início do Torneio Internacional On-line. A subsecretária de Ressocialização da Sejus, Roberta Ferraz, ressalta que a prática traz benefícios para a transformação dos internos. “O jogo de xadrez contribui para o desenvolvimento de diversas habilidades como, por exemplo, a capacidade de tomar decisões, a disciplina, concentração e o raciocínio matemático. Entendemos que a técnica traz diversos benefícios para a transformação dos internos e é aplicada como forma de ressocialização”, ressalta Ferraz.

Projeto “Xadrez que Liberta”
A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), por meio da Gerência de Educação e Trabalho (GET), desenvolve nas unidades prisionais do Estado o Projeto “Xadrez que Liberta”. Atualmente o projeto conta com 88 internos, divididos na Penitenciária de Segurança Média de Colatina (PSMCOL), Penitenciária de Segurança Média I (PSMEI) e no Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim (CPFC).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*