ES assina Memorando de Entendimento com Câmara Portuguesa de Negócios

today13 de setembro de 2021
remove_red_eye66

O governador do Estado, Renato Casagrande, participou, nesta segunda-feira (13), do evento “Espírito Santo: as perspectivas e oportunidades da relação com Portugal”, no Palácio Anchieta, em Vitória. Na ocasião, foi assinado o Memorando de Entendimento entre o Estado do Espírito Santo e a Câmara Portuguesa de Negócios no Estado, com o objetivo de discutir e articular temas relevantes, além dos projetos de interesse mútuo.

O Espírito Santo, ao firmar a cooperação com Portugal, se propõe a criar oportunidades e ampliar a discussão de pautas nas áreas de educação, saúde, segurança pública, meio ambiente, mudanças climáticas, desenvolvimento econômico, desenvolvimento sustentável, apoio ao fortalecimento econômico feminino, combate à desigualdade e discriminação, além da inovação tecnológica, intercâmbio cultural, entre outras. A partir da assinatura, o documento passa a ter validade até 31 de dezembro de 2022.

“É um prazer estar presente nesta noite luso-capixaba. Esses dois atos são importantes para nós. Os portugueses são importantes para nossa colorização e pela parceria. Tratamos do tema ainda em 2019, durante a WebSummit. Naquela ocasião, deixamos clara a nossa vontade de ser a porta de chegada no País dos produtos europeus e também que Portugal seja a porta de entrada dos produtos brasileiros. Temos um Estado organizado, com boa relação institucional e quem vier empreender aqui vai ter estabilidade. Queremos gerar emprego, renda e oportunidades aos capixabas”, enfatizou o governador Casagrande.

O evento contou com a participação do embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos; do subsecretário de Estado de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais, Gabriel Feitosa; do presidente da Câmara Portuguesa no Espírito Santo, Paulo Baraona; e do diretor da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Francisco Costa. Três convidados participaram do painel empresarial, entre eles, o presidente da EDP, João Marques da Cruz; o CEO da Borana, Jorge Aguiar; e o CEO da Magban, Tales Pena Machado.

De acordo com o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, será constituído um Grupo de Trabalho com a participação de autoridades públicas e equipes técnicas do Governo do Estado e da Câmara Portuguesa.

“Trata-se de um acordo de cooperação que visa ao desenvolvimento de projetos importantes para o Estado. Ao estreitar o relacionamento com Portugal, vamos promover a troca de conhecimento das melhores práticas, serviços e tecnologias, priorizando áreas pertinentes. Nós temos um Estado preparado, competitivo e com segurança jurídica para investidores. A equipe da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento está à disposição para auxiliar no que for necessário”, destacou Tyago Hoffmann.

Segundo o presidente da Câmara de Comércio Portugal-Espírito Santo, o Espírito Santo está preparado para receber as empresas portuguesas, por ser um Estado organizado financeiramente. “Além disso, por ter um Fundo Soberano e um Fundo de Infraestrutura, o Estado é visto pelo mercado internacional como atrativo com mais segurança aos seus investimentos”, disse Paulo Baraona.

Para o diretor da AICEP, essa aproximação é fundamental para coordenar esforços, a fim de estabelecer uma rede de contatos empresariais que facilitem a circulação de informações.

“Queremos fomentar o fluxo recíproco de temas econômicos e estatísticos, que é destinado, sobretudo, às respectivas comunidades empresariais. Além de garantir o estabelecimento de um canal direto com os decisores em nível estadual, que muito nos apoiam na identificação de parceiros de negócios; na orientação aos potenciais investidores locais interessados em Portugal e no Espírito Santo, assim como na intermediação junto das entidades locais e apoio na instalação do mercado e follow-up dos negócios de empresas portuguesas e capixabas”, enfatizou Francisco Costa.

A presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Cris Samorini, ressaltou que o Espírito Santo é um Estado com vocação para o comércio exterior, em especial às exportações. “A aproximação entre Brasil e Portugal vai gerar mais oportunidades comerciais para o Estado. A Findes está preparada para dar suporte a esse crescimento de demanda entre Brasil e Portugal, desde a internacionalização de novas empresas de comércio exterior, por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN-ES), até o fornecimento de cursos necessários para capacitar os trabalhadores, por meio do Senai”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*