Governo do Estado inaugura nova Delegacia da Mulher de Viana

today5 de novembro de 2019
remove_red_eye1545

A governadora em exercício do Estado, Jaqueline Moraes, participou, nesta terça-feira (5), da inauguração da nova Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Viana. A nova unidade está localizada na Rua Frederico Ozanan, 62, no Centro do município. A Deam de Viana vai funcionar das 8h às 18h, de segunda-feira a sexta-feira. Fora do horário de expediente, o atendimento será no Plantão Especializado da Mulher (PEM), em Vitória, que concentra todas as ocorrências da Região Metropolitana.

A delegacia tem uma área total construída de 92 metros quadrados, contando com uma sala de investigação, um gabinete com banheiro, uma recepção, uma sala kids, dois cartórios, um banheiro para o público, acessível e unissex, uma sala de apoio, uma sala de reunião, uma sala para atendimento psicossocial, uma cozinha e um banheiro para funcionários. A delegada Ana Karolina Marques Costa Sousa é a titular responsável pela Deam de Viana.

Em sua fala, a governadora em exercício afirmou que o Espírito Santo não será mais um estado reconhecido pelos altos índices de violência contra a mulher. Segundo ela, as Delegacias da Mulher são um marco importante para a política de enfrentamento à violência contra as mulheres.

“As mulheres hoje falam sobre a violência, reconhecem outras formas de violência além da física e revelam para a sociedade machista que isto não só ocorre no espaço doméstico e familiar, mas que acompanham as mulheres em todos os espaços de suas vidas. Portanto, uma delegacia bem equipada, humanizada como esta faz com que as vítimas se sintam mais acolhidas em um momento tão difícil”, afirmou Jaqueline Moraes.

A governadora em exercício lembrou ainda que as políticas públicas adotadas pela atual administração já influenciam nos índices de criminalidade, reduzindo o índice de crimes contra a mulher. Em 2019, o Espírito Santo caiu do segundo para o quinto lugar, no entanto, Jaqueline Moraes afirmou que “ainda não temos nada a comemorar”. Segundo ela, “é mesmo para entendermos que estamos no caminho certo da paz e da integração social”.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, destacou, em sua fala, a importância do Programa Estado Presente em Defesa da Vida: “Através do Estado Presente temos materializado o conceito de segurança cidadã. Todos estão participando. É necessária a integração no enfrentamento à violência. Contra a mulher, ela começa um pouco invisível e é muito difícil entender o padrão do criminoso. Então ter uma delegacia como referência de comunicação de violência, até mesmo verbal, é fundamental. A gente da segurança pública vai meter a colher nessas relações e não vamos tolerar a violência. Não vai faltar empenho do Governo para que a gente diminua permanentemente esse tipo de violência”, disse.

O delegado geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, agradeceu ao prefeito de Viana, Gilson Daniel, e ao secretário de Segurança Pública pelo apoio ao projeto: “A gente fica muito feliz de inaugurar mais uma Delegacia da Mulher. Só foi possível essa conquista com o apoio do prefeito. Ele tem compromisso e sempre nos ajudou. Fazer Segurança Pública sem parceria e comprometimento é muito difícil. Também temos que agradecer ao secretário Roberto Sá, que está dia e noite nos apoiando nessa luta. Quando se investe nessa estrutura, a gente combate essa violência tão covarde”.

A delegada Cláudia Dematté, chefe da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher, também comentou a importância da entrega da nova unidade. “Eu estou emocionada. Essa união de todos possibilitou hoje a vitória para o município e para o Estado. Nossas delegadas são todas guerreiras, lutam pela causa e combatem a violência contra a mulher dia e noite. A equipe é engajada e infelizmente temos casos diários de mulheres sendo agredidas e mortas somente por serem mulheres. Estamos aqui para combater essa cultura machista”, afirmou.

O prefeito Gilson Daniel destacou a importância da parceria com o Estado no combate à violência contra a mulher. “Nós pegamos esse prédio, fizemos a reforma, e estamos trabalhando em conjunto com o Estado. Se não tivermos a sensibilidade de entender que o equipamento do Estado nos beneficia, vamos ter condições de fazer uma obra dessas e não vamos fazer. Temos que dar as mãos. Agir juntos para esse combate à violência contra a mulher. Queremos viver em uma cultura de paz”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*