Guaçuí: Praças, ruas e jardins públicos mais floridos e bonitos

today19 de agosto de 2014
remove_red_eye2660

Dedicação diária para deixar as áreas públicas como praças, ruas e jardins de Guaçuí cada vez mais floridos e bonitos, trabalho que vem sendo executado frequentemente pelos servidores da Secretaria Municipal de Meio Ambiente em diversos locais da cidade. A iniciativa faz parte do projeto de recomposição de áreas verdes no município.

Melhorias são nítidas nos jardins da praça João Acacinho, totalmente recuperados. No local, a grama antiga estava com falhas e foi substituída por novos tapetes da planta. Além disso, a praça recebeu mais flores para recomposição paisagística.

“Mas para que o trabalho não seja em vão, pedimos encarecidamente que as pessoas colaborem. Infelizmente temos muitos casos de furto de plantas ornamentais em praticamente todos os locais onde fizemos recuperação e novos plantios. Essa prática destrói o trabalho que é realizado com tanto zelo, carinho e boa vontade pelos funcionários municipais”, chama a atenção o secretário municipal de Meio Ambiente, Weriton Soroldoni.

Intervenções para melhorar a paisagem foram feitas também na avenida José Alexandre (próximo à antiga delegacia) e na avenida Espírito Santo, onde trechos dos canteiros centrais receberam icsórias, que florescem durante um período mais longo e, por isso, contribuem com o visual da cidade.

Outras espécies florais foram plantadas nos jardins no entorno do prédio administrativo da prefeitura, para substituição das plantas comprometidas por doenças ou pela ação do tempo. Nos canteiros da avenida Joaquim Machado Faria foi feito plantio da flor chamada ibisco.

A rua Bom Jesus do Livramento, também na região central da cidade, recebeu um pequeno canteiro com grama e outras plantas, entre elas o manacá da serra, que produz centenas de flores em tons que vão do branco ao lilás. “Lamentavelmente algumas pessoas furtaram as plantas desse canteiro também”, conta a subgerente de Jardinagem e Paisagismo, Rosi Bodevan. “Todos esses espaços recebem manutenção periódica, trabalho desrespeitado pela ação dos vândalos”, completa Rosi.

O serviço de acompanhamento e recomposição inclui análises de solo das áreas verdes, nos espaços públicos localizados na região central da cidade, com objetivo de repor os nutrientes de forma adequada, por meio de adubação. Já a calagem (aplicação de calcário) faz a correção de acidez do solo. “Com isso, conseguimos eficiência econômica com a compra dos produtos mais apropriados para recuperação e nutrição do terreno”, avalia o secretário Weriton Soroldoni.

Cerejeiras na avenida Francisco Lacerda de Aguiar
Enquanto algumas pessoas furtam o que é de todos, outros dão ótimo exemplo e ajudam a melhorar os locais de uso comum. Para contribuir com a proposta que visa deixar a cidade mais florida e arborizada, os moradores Sebastião e Fátima Lamas doaram 30 mudas de cerejeiras, plantadas em abril pela equipe de jardinagem da Secretaria Municipal de Meio Ambiente nos canteiros centrais da avenida Governador Francisco Lacerda de Aguiar.

A planta com floração cor de rosa é comum em áreas públicas como parques e praças no Japão e também em Curitiba, capital do Paraná, no sul do Brasil.

“É indiscutível a relevância do envolvimento da sociedade civil com o poder público nas ações de participação ativa, desempenhando papel transformador e fiscalizador, bem como coibindo as depredações aos espaços públicos. Essas parcerias ajudam a reduzir o déficit de espécies florais na cidade e valorizam muito o trabalho que a secretaria e equipe de jardinagem desempenham, seja na manutenção ou na recomposição das áreas verdes”, analisa o secretário municipal de Meio Ambiente, Weriton Soroldoni.

A ação faz parte do projeto “Plante Um Novo Futuro”, que propõe a criação de parcerias com a sociedade e o setor privado para recompor as áreas verdes de Guaçuí. “A Secretaria de Meio Ambiente pode auxiliar com as mudas e o plantio, assistência técnica, reposição de nutrientes com adubação, controle de pragas, entre outras medidas para manutenção.

Já os parceiros (moradores e empresários) participam com a doação de mudas, auxílio com irrigação e acompanhamento para evitar o ataque de pragas e, principalmente, a intervenção de vândalos que causam dano ao patrimônio público”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente.

Furtar plantas é crime!
O que diz a lei
Quem recolhe flores e plantas em jardins públicos pode ser enquadrado na Lei Federal 9.605, de 12/2/1998, de crimes ambientais. O artigo 49 diz: “Destruir, danificar, lesar ou maltratar, por qualquer modo ou meio, plantas de ornamentação de logradouros públicos ou em propriedade privada alheia – Pena: detenção de três meses a um ano, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente”.

Quem for denunciado por furtar plantas também pode ser enquadrado no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, que diz: “Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel – Pena: reclusão, de um a quatro anos, e multa. A pena aumenta-se de um terço, se o crime é praticado durante o repouso noturno”.

Fonte Superintendência de Imprensa Oficial/ Ana Paula Fassarella
Foto Jackson Vimercati

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*