Petrobras anuncia investimento de R$ 700 mi no Espírito Santo

today13 de novembro de 2014
remove_red_eye98

O diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Miranda Formigli, esteve visitando o Espírito Santo hoje, 13 de novembro, para apresentar a empresários, prestadores de serviço e autoridades capixabas as regras do novo edital que será lançado pela empresa em janeiro para contratar empreendimentos portuários no litoral sul do Estado.

Os empreendimentos, destinados ao serviço de apoio às plataformas de petróleo localizadas entre o sul do Estado e o norte do Rio de Janeiro, terão investimentos da ordem de R$ 700 milhões e devem gerar 600 vagas diretas de emprego na sua fase de instalação e outros 6000 já durante o período de operação, previsto para junho de 2016.

De acordo com José Miranda Formigli, os investimentos significam um grande avanço para o Espírito Santo, que poderá assumir alguns dos nove novos contratos. “Teremos seis berços firmados agora em novembro e outros três em janeiro, concorridos entre Rio e Espírito Santo. Isso significa uma maior competitividade do Estado”, comenta.

O Edital P-90, como é chamado o concurso lançado em janeiro, deve contratar três das novas prestadoras de serviço e garante 15 anos de concessão aos vencedores. Segundo Formigli, o processo licitatório assegura a competitividade de municípios capixabas a partir de seu modelo de escolha: “Caso os municípios capixabas sejam majoritariamente escolhidos no processo de novembro, serão priorizados os fluminenses em janeiro, assim como o contrário”, afirmou o diretor de exploração da estatal.

Além da capacidade de competir, o Espírito Santo parece ter se fortalecido politicamente no cenário nacional, já que a reunião foi uma reivindicação do senador Ferraço feita diretamente à presidente da Petrobrás, Graça Foster. De acordo com Ricardo Ferraço, os benefícios com a instalação dos chamados “berços” são enormes: “Gera-se em torno disso uma atividade econômica bastante fértil, podendo gerar muitas outras riquezas para a região”, comenta o político do Sul do Estado.

Apesar do processo teoricamente igualitário e a dita maior capacidade de competir no cenário nacional as chances do Espírito Santo se colocar em vantagem na primeira parte do processo licitatório são baixas. Para Ferraço, pontos como estrutura logística e proximidade das plataformas colocam os municípios fluminenses com maior chance de levar os contratos. “O ponto zero deste primeiro contrato tem como referência as cidades de Campos e São João da Barra. Os municípios capixabas já participam em desvantagem por estarem mais distantes”, afirma.

A primeira parte da licitação para contratar prestadoras de serviços de apoio a plataformas marítimas em terminais portuários tem início no próximo dia 17, onde seis “berços”, ou pontos de apoio serão contratados entre municípios do litoral Sul do Espírito Santo e Norte fluminense. Em janeiro, uma nova licitação terá início onde três novas empresas serão escolhidas. As licitadas terão um prazo de 24 meses após a contratação para iniciar as suas operações e terão período de concessão com duração de 15 anos.

Rodolpho Paixão/ [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*