Amanhã (04) é Dia D vacinação contra gripe

today3 de maio de 2019
remove_red_eye229

A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza vai até 31 de maio, mas amanhã, dia 04, é o grande dia de mobilização nacional. Em Anchieta, nove unidades irão funcionar das 8h às 15h vacinando moradores, público alvo da campanha. Equipes da ESF Centro I, ESF Centro II, ESF Centro III, Iriri, Recanto do Sol, Mãe-Bá, Jabaquara, Alto Pongal e Baixo Pongal estarão de plantão para atender a demanda.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), 7.562 pessoas devem ser vacinadas em Anchieta até o final da campanha, para isso, a Semus montou um esquema de vacinação em dez Estratégias de Saúde da Família (ESF) da sede e do interior, de segunda a sexta.

Conforme a secretária municipal de Saúde, Jaudete Frontino De Nadai, o objetivo da campanha é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da influenza na população alvo para a vacinação.

Fazem parte do público-alvo pessoas com 60 anos ou mais de idade; crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos de idade (até 5 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

DIA D VACINAÇÃO – Locais de vacinação em Anchieta: ESF Centro I, ESF Centro II, ESF Centro III, Iriri, Recanto do Sol, Mãe-Bá, Jabaquara, Alto Pongal e Baixo Pongal.

Sintomas da gripe
Os sintomas da gripe são agudos, ou seja, surgem de repente. A pessoa começa a se sentir mal, logo vem a dor de garganta, muita dor no corpo, febre alta prolongada e tosse. Muitos sintomas da gripe são semelhantes ao do resfriado, que também causa tosse e coriza, apesar do paciente não ficar tão prostrado e às vezes nem apresentar febre. Em alguns casos, a infecção pelo vírus influenza pode evoluir para um quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), em que o paciente apresenta sintomas gripais associados a uma forte dificuldade de respirar.

Para não haver dúvida nem correr risco, é importante buscar atendimento médico mesmo se os sintomas forem mais brandos. O médico é quem poderá, de forma segura, fazer o diagnóstico e determinar o tratamento.

Há situações em que pessoas relatam terem ficado gripadas depois de tomarem a vacina influenza, mas a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações explica que a vacina é composta de vírus inativado (morto e fragmentado), portanto, não provoca a doença. Pode acontecer, no entanto, de a pessoa ter tido contato com o vírus influenza poucos dias antes de ser vacinada ou antes de o corpo ter produzido a imunidade, por isso a doença se desenvolve no organismo mesmo com a aplicação da vacina.

Público-alvo
– Pessoas com 60 anos ou mais de idade;
– Crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos de idade (até 5 anos, 11 meses e 29 dias);
– Gestantes;
– Puérperas (até 45 dias após o parto);
– Trabalhadores da saúde;
– Professores das escolas públicas e privadas;
– Povos indígenas;
– Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
– População privada de liberdade;
– Funcionários do sistema prisional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*