Em 3 anos, Câmara dos Deputados reembolsou quase R$ 15 milhões de despesas médicas

today26 de julho de 2022
remove_red_eye87

Os deputados realizam esse gasto mesmo despondo de um plano de saúde particular pago pela Câmara. Além disso, eles ainda recebem, anualmente, R$ 411.183,18 de cota para o exercício da atividade, R$ 1.340.107,08 de verba de gabinete e, mensalmente, R$ 33.763,00 de salário

De 2019 a 2021, a Câmara dos Deputados reembolsou R$ 14.869.874,06 aos deputados federais que optaram por serviços de saúde particulares, mesmo tendo um plano de saúde disponibilizado pelo Poder Legislativo, pago com o dinheiro dos contribuintes. As informações fazem parte de um levantamento do Ranking dos Políticos, site que classifica os melhores e piores parlamentares de acordo com os seus trabalhos realizados no Congresso Federal: presenças nas sessões, economia de verbas, processos judiciais e votações nas decisões mais importantes da casa legislativa.

Obtidos com exclusividade, os dados Departamento de Finanças, Orçamento e Contabilidade da Câmara apontam que as despesas médico-hospitalares dos deputados são realizadas na forma de restituição, em conformidade com o Ato da Mesa nº 89/2013. Os pedidos de reembolsos são de até R$ 135.400,00 ao longo do mandato. Porém, os gastos podem, ainda, serem maiores se ultrapassarem, bastando para isso que o segundo vice-presidente da casa aprove reembolso. A quantia é equivalente ao valor diário para manter cerca de 50 leitos na UTI e quase equivalente à instalação de um leito (R$ 180 mil). O preço limite do reembolso se refere a cada despesa médica justificada, mas o número de despesas que podem ser solicitadas é ilimitado. 

Ainda de acordo com o Ato da Mesa, entende-se como despesas reembolsáveis: atendimento ambulatorial ou hospitalar, incluindo quimioterapia e radioterapia; exames complementares de diagnóstico; assistência domiciliar; assistência prestada por médicos, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais; remoção para outro centro clínico, quando caracterizada a emergência ou a urgência e a inexistência de condições técnicas locais, mediante relatório circunstanciado, indicando os motivos clínicos da transferência e o tipo de remoção necessária; órteses e próteses; assistência odontológica.

Plano rejeitado 
O plano de saúde oferecido pela Câmara dos Deputados, que muitas das vezes não é utilizado pelos parlamentares, é financiado com dinheiro do contribuinte e pode ser estendido aos seus dependentes (familiares e tutelados). Vale lembrar que, além desse benefício e do reembolso, os deputados ainda recebem, anualmente, R$ 411.183,18 de cota para alugueis de veículos e imóveis, combustíveis e viagens. E mais R$ 1.340.107,08 de verba de gabinete. Fora o salário de R$ 33.763,00, pago todo mês.

Na opinião do diretor-geral do Ranking dos Políticos, Gláucio Dias, é inadequado o gasto extra com reembolsos porque os deputados já possuem diversos benefícios disponibilizados pela Câmara, além de um plano de saúde particular. “Não há necessidade dessa despesa, na qual é feita sem nenhum critério claro. Também não é adequado que haja uma liberdade por parte de um membro da Mesa Diretora em aprovar ou não os gastos. O correto seria haver uma regra clara do que pode e do que não pode. Apesar, que o ideal seria nem existir esse tipo de auxílio, pois, enquanto os parlamentares usufruem, diversos cidadãos brasileiros, sem condições de pagar um convênio, estão morrendo na fila por exames e procedimentos cirúrgicos”, afirmou.

Os 5 mais gastões
Dos 513 deputados federais, 330 solicitaram restituição. Sendo que desses, o Ranking dos Políticos selecionou os cinco que mais gastaram com reembolso saúde de 2019 a 2021.

Em primeiro lugar está a deputada do estado de Alagoas Tereza Nelma da Silva Porto (PSD), reembolsada em R$ 2.028.386,78. Já o deputado do Pará Nilson Pinto (PSDB) ficou em segundo, ressarcido em R$ 735.412,68. O terceiro colocado é o deputado de Tocantins Célio Moura (PT), reembolsado em R$ 693.568,49. Em quarto lugar está o deputado de Pernambuco Gonzaga Patriota (PSB) restituído com R$ 371.641,33. E, por fim, em quinto lugar está o deputado de Goiás, João Campos (Republicanos) que recebeu R$ 352.807,38 de reembolso.

Desempenho dos cinco deputados que mais receberem reembolsos de saúde no Ranking dos Políticos

foto Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*