Governo do Estado lança 2ª edição do Programa Centelha no Espírito Santo

today12 de janeiro de 2022
remove_red_eye90

Mais investimento para impulsionar o empreendedorismo inovador do Espírito Santo. Foi pensando nisso que o Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), lançou, na tarde desta quarta-feira (12), a 2ª edição do Programa Centelha no Estado. O lançamento ocorreu em solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória, com a presença do governador do Estado, Renato Casagrande, de empreendedores e autoridades capixabas.

O edital da 2ª edição do Centelha ES investe R$ 4,3 milhões na seleção de 50 projetos de negócios inovadores, sendo R$ 2 milhões da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), R$ 1,3 milhão em bolsas de Fomento Tecnológico e Extensão, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e mais R$ 1 milhão da Fapes. Cada projeto contemplado na chamada pública vai receber o apoio financeiro de até R$ 86 mil para desenvolver ideias em negócios de sucesso.

“O Centelha é um importante programa de tecnologia que existe hoje no País, mostrando como as atitudes podem mudar o mundo. A atitude da pessoa de escrever uma ideia, que pode se transformar em um bom projeto e depois numa empresa. Melhorando assim a vida das pessoas e gerando emprego e renda. Ficamos muito felizes que o Centelha I teve mais de três mil ideias registradas, sendo um recorde nacional. Isso mostra que o ambiente de inovação está presente na população capixaba. Inovar não é tarefa apenas de um governo ou de instituição, mas sim de todos que se envolvem neste trabalho. Queremos um Estado cada vez mais competitivo, justo, sustentável, inovador e com desenvolvimento regionalizado”, afirmou o governador Casagrande.

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, lembrou que, desde 2019, o Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores (Centelha) vem estimulando a criação de empreendimentos inovadores, já com cases de sucesso no Espírito Santo. “Nesta edição, 50 novos empreendimentos serão contemplados e terão à disposição uma série de benefícios, como recursos financeiros para desenvolver seu negócio, além de capacitações e suporte para alavancar o empreendimento. Além disso, acesso a instituições de ciência, tecnologia e inovação e a incubadoras”, disse.

Hoffmann destacou ainda o potencial inovador das empresas capixabas, que registram forte interesse e participação no programa. “No Centelha I, o Espírito Santo foi case nacional e registrou 3.556 inscritos, mais que o dobro do que Santa Catarina, que ficou em segundo lugar com 1.500 inscrições”, pontuou.

Os interessados podem submeter uma proposta do dia 12 de janeiro a 11 de março de 2022. Nesta primeira fase do edital, 200 projetos serão selecionados. Desse total, 50 chegarão à terceira e última fase da chamada pública. As submissões podem ser feitas no site: www.programacentelha.com.br/es 

Quem pode?
Podem participar pessoas físicas ou empresas com faturamento anual bruto de até R$ 4,8 milhões, com até 12 meses da criação, contados a partir do lançamento do edital.

Quais benefícios?
Os empreendedores que participarem terão à disposição um conjunto de benefícios, entre eles recursos financeiros, por meio de subvenção econômica, para desenvolverem seu negócio, além de capacitações e suporte para alavancar o empreendimento. Contarão ainda com acesso as instituições de ciência, tecnologia e inovação e a incubadoras. A iniciativa oferece recursos financeiros de até R$ 86 mil para os 50 projetos contemplados, ao final das três fases.

O que é o Programa Centelha?
O Programa Centelha visa a estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no País.  A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), operada pela Fundação CERTI. No Espírito Santo, é executada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*