Servidora da Secretaria de Justiça vence câncer de mama

today7 de outubro de 2019
remove_red_eye113

Há sete anos, a supervisora de segurança do Centro de Detenção Provisória da Serra (CDPS), Cláudia Abreu Bezerra Rodrigues, recebeu uma notícia difícil de aceitar. Durante exames de rotina, aos 37 anos, foi diagnosticada com o câncer de mama nível dois, um dos tipos mais agressivos da doença. Para enfrentar o problema, Cláudia preferiu deixar o medo de lado e uniu a fé e a coragem para seguir seu tratamento.

“No primeiro momento, não é uma notícia agradável de receber, pois a morte é o que fica no nosso pensamento. Mas depois que se vê dentro do problema tem que ter forças para enfrentar e vencer a luta contra o câncer. Busquei primeiramente ajuda em Deus. O apoio do meu esposo, desde o início, só me fortaleceu nesse processo. Sou uma mulher de muita perseverança, não desisti de nada, ao contrário, lutei e venci”, lembrou. .

Para vencer o câncer, a supervisora precisou passar por 45 sessões de radioterapia. Logo após um ano de tratamento, começou a quimioterapia oral, sendo necessário seguir com o procedimento por mais cinco anos. A servidora também foi submetida a cirurgias para reconstituição da mama. Em fevereiro deste ano, porém, recebeu a boa notícia que estava curada, mas ainda é necessário fazer acompanhamento e exames de seis em seis meses para avaliação de seu quadro clínico.

Neste mês de outubro, período em que o alerta para o câncer de mama está em evidência, Cláudia deixa um recado para as mulheres: “Para quem está passando por esse momento da descoberta do câncer, digo que é preciso lutar pela vida. Lutem até o fim e não se entreguem à doença. Já para as mulheres que ainda não se atentaram para a prevenção, peço que se cuidem, que façam anualmente seus exames e se amem”, aconselhou.

Guerreira
Há 14 anos na Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), a servidora conta que o apoio dos colegas de trabalho fez com que o enfrentamento da doença fosse mais leve. “Dentro da Sejus os servidores me acolheram muito bem. Me senti como se não tivesse doença nenhuma. Me sinto uma guerreira em todos os sentidos, seja no trabalho diário ou na luta contra o câncer. Gosto muito do meu trabalho e não é à toa que já estou aqui há 14 anos”, disse Cláudia.

A servidora ingressou na Sejus em 29 de dezembro de 2005, na função de agente de segurança penitenciária. Em 2010, assumiu o posto de supervisora de segurança. Em toda trajetória no sistema prisional, ela atuou na Penitenciária de Segurança Máxima 1, antiga Casa de Custódia de Viana, Penitenciária Agrícola do Espírito Santo, Centro de Detenção Provisória de São Mateus e Penitenciária Regional de São Mateus, Centro de Detenção Provisória de Viana 2 e, por último, Centro de Detenção Provisória da Serra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*